• Projeto Constelação

Energia sexual e prosperidade

Vamos falar sobre sexo? Mas afinal o que sexo tem a ver com prosperidade e riqueza? Você sabia que você pode usar essa energia para criar riqueza?


Palavrinha carregada de polêmica e dona de um conceito deturpado que perdura por séculos, transformou-se numa zona delicada e acabou virando um dos maiores tabus da sociedade. Embora atualmente pareça ter surgido mais abertura para falar sobre sexo, vigora a visão animalesca e instintiva do desejo sexual. O ser humano parece estar aceitando a existência de sua natureza sexual, mas, infelizmente, predomina a ignorância do real poder dessa energia.

Napoleon Hill, no livro Quem Pensa Enriquece, dedicou um capítulo inteiro sobre a Transmutação da energia sexual e escreveu extensivamente sobre o assunto. Ele estudou os 500 homens mais ricos do mundo e constatou que a energia sexual vai muito além do coito.


A energia sexual é a energia vital e a base da criação de qualquer coisa, inclusive a própria vida! Com a prosperidade, riqueza e saúde emocional não seria diferente. Napoleon Hill diz que quem consegue canalizar essa energia tem muito mais prosperidade, riqueza e abundância.


Por trás da emoção do sexo haveria três potencialidades construtivas: a perpetuação da espécie, a manutenção da saúde (o que seria a melhor terapia) e a transformação da mediocridade em genialidade por meio da transmutação dessa energia.


O que é transmutação? Em termos de alquimia, transmutação significa transformação, conversão de um elemento químico em outro. Portanto, quando se fala em transmutar a energia sexual, fala-se em usar e canalizar essa energia para outras áreas que não o sexo. Isso nada tem a ver com abster-se de sexo, mas, sim, usá-lo de uma forma consciente e tirar todos os benefícios que ele pode oferecer que vão além de uma satisfação momentânea de prazer.


Os maiores realizadores, de acordo com Napoleon Hill, possuem natureza sexual desenvolvida. Homens que acumularam grandes fortunas e se destacaram na área artística, política, e em várias outras, foram influenciados por uma mulher. Ele inclusive cita o exemplo de Napoleão Bonaparte que foi um grande conquistador ao lado de sua mulher Josefina, mas quando seu “bom senso” ou faculdade de raciocínio o levaram a deixá-la de lado, começou o seu declínio. Poderíamos citar diversas outras personalidades que ganharam destaque na história porque possuíam natureza sexual bem desenvolvida, como Abraham Lincoln e William Shakespeare.


Ele fala, também sobre o magnetismo pessoal, que é a própria energia sexual e muda a nossa bioquímica de dentro para fora. Como somos seres sexuais, é importante tanto para os negócios quanto para a vida pessoal. A emoção do sexo contém a capacidade criativa, em especial a criação de riqueza material.


Indivíduos altamente sexualizados misturam a emoção do sexo aos pensamentos e quando praticam deliberadamente (sexo), exercem influência sobre todos aqueles com quem se relacionam.


Pessoas mais sexualizadas também cuidam mais da aparência, de forma a combinar o seu estilo com a sua própria personalidade. Está diretamente ligado à autoestima, à segurança, e ao amor próprio.


Não deixe o sexo te dominar, domine, você, essa energia! É a energia da criação e da criatividade. Bem utilizada pode te trazer novas ideias, novos modos de pensar, novas soluções. Pode alavancar a sua vida pessoal e profissional.


Tão poderosa é essa energia que pode ser transmitida através de um simples aperto de mão, de um abraço, de um beijo e, no sexo, essa troca é muito intensa, por isso é importante tomar consciência de com quem estamos nos relacionando. O sexo é algo sublime, deve ser canalizado para aumentar as nossas potencialidades. Se você se enxerga no outro, você enxerga o respeito, o amor, o carinho e você se sente presente, de forma consciente, sem que o instinto te domine. E aí está uma ferramenta incrível para a criação.


Napoleon diz, também, que antes de se tornarem gênios através do desejo sexual, a maioria dos homens se degrada por ignorância ou falta de conhecimento. Como assim? O impulso sexual vai muito além de uma expressão física. Muito dessa energia é dissipada quando o sexo é praticado de forma inconsciente e, por isso, normalmente os homens só alcançam sucesso depois dos 40 ou 50 anos de idade. Porque no auge da potencialidade sexual do homem, ele dissipa essa energia ao invés de usá-la de forma construtiva em muitos outros setores da vida. Ele diz que o desejo sexual deve ser controlado e transmutado em ação que não seja a expressão física, e isso pode gerar grandes feitos em outras áreas.


Pessoas de grande poder sexual têm um grande estoque de magnetismo pessoal e isso pode aumentar exponencialmente a capacidade para vendas, como exemplo. Essas pessoas que parecem ter um talento nato para vendas transmutam a energia sexual em entusiasmo de vender, de forma consciente ou até inconsciente.


O homem precisa do sexo assim como precisa de água ou oxigênio. E por que olha-se para este tema com olhar de julgamento, de algo sujo e pecaminoso? Em nome dos “bons costumes”? A verdade é que o problema não reside no sexo e, sim, na mentalidade do homem.


Após séculos de repressão o sexo tornou-se algo banal, saindo de um extremo a outro, e essa falsa liberdade sexual tem consequências que a maioria das pessoas desconhece. Mas agora você já sabe!


Como você se alimenta do sexo? Com medo, vergonha, vingança, ressentimento, frustração? Ou com alegria, amor, prazer, liberdade, respeito, individualidade e descoberta? Aprenda a se relacionar de forma criativa e não destrutiva! Use essa energia ao seu favor e você começará a colher os reais benefícios dela.


Recomendo a leitura do livro de Napoleon Hill – Quem Pensa Enriquece caso você queira saber mais sobre.


Morgana Lourenço


37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo